Para combater a ressaca das festas

fieldimagegarlic-bloody-mary

Entra dezembro e, praticamente ,temos encontros de amigos dia sim dia não. Justamente no mês que todos tem para dar aquela última perda de quilinhos para entrar o ano bem, chegam as confraternizações regadas a comidas e a bons drinks. Pois, afinal de contas não dá para encontrar os grandes amigos sem brindar!!! Com as festas, às vezes,  vêm o inchaço e a ressaca.

Para amenizar os danos ao corpo nada como fazer exercício e para cuidar de fazer uma boa hidratação. Além disto, descobri há um tempo atrás os coquetéis pós ressaca. O clássico drink Bloody Mary para mim, é o melhor exemplo de drink para este intuito, a cura do  “rangover”.

Não é coisa de bêbado, mas a melhor opção para o dia seguinte, é não interromper drasticamente o consumo de álcool e preparar um Bloody Mary de café da manhã. Em seguida vc pode tomar um Virgem Mary e na sequência muita água com limão para hidratar.

Mas não é só o Bloody que reina na categoria “rangover”, existem muitas outras opções como o Corpse Reviver e o Carrot Apple & Ginger (receitas abaixo). Além dos coquetéis Bellini e Mimosa também classificados na categoria.

Vamos as receitas para fazerem em casa:

Bloody Mary (temperar conforme seu gosto)

 – 30ml (01 dose) de Vodka

– 120ml de Suco Concentrado de Tomate(sem tempero)

– 20ml de suco de limão taiti

– molho Inglês

– pimenta do reino

– sal

– tabasco

– gelo

– Aipo */ salsão para decorar (se desejar, raiz forte, ½ colh. de café)

No copo misturador (mixing glass) coloque o suco de tomate o suco de limão e os temperos. Misture com a colher bailarina ou se souber faça o método “stiring”. Adicione a vodka e misture novamente. Despeje a mistura em um copo longo e complete com três pedras de gelo. Mexa e finalize com uma pitada de pimenta do reino. Coloque um talo de *salsão/aipo para decorar (e comer ao final claro).

Dica 1: Caso não queira beber nada alcoólico deixe a vodka de lado e beba somente como suco de tomate temperado.

Dica 2: Caso você troque a vodka por tequila este drink passa a ser chamado de Bloody Maria. Experimente!

Corpse Reviver

 25ml de Calvados (cognac e maçã)

25ml de vermute rosso

25ml de Cognac

Laranja para decorar

Em uma coqueteleira com gelo, adicione todos os ingredientes, chacoalhe bem e sirva em taça martini previamente resfriada ou em copo baixo com gelo. Adicione um zest de laranja bahia mantendo o mesmo no drink.

Carrot Apple & Ginger (não alcoólico)

 02 cenouras grandes

01 macã descascada

03 lascas de gengibre

Bata a cenoura e a maçã no liquidificador e coe. Adicione as lascas de gengibre e sirva em copo longo drink com um canudo.

Um pouco de história

O nome “Bloody Mary” se originou da Rainha Maria I que governou a Inglaterra e Irlanda de 1553 a 1558. Scott Fitzgerald e o filósofo francês Jean-Paul Sartre eram assíduos clientes em Paris do Harry’s New York Bar. Os dois eram apaixonados por um drinque de cor vermelha e leve picância. Era o que chamavam de comer e beber ao mesmo tempo. Inspirado na perseguição religiosa da Rainha “Bloody Mary”, um Barman de origem americana chamado Ferdinand Petiot que trabalhava no Harry´s New York Bar de Paris e que buscava a exata medida entre um cocktail aperitivo com baixo teor alcoólico, teve a brilhante idéia de misturar suco de tomates, temperos e vodka.

* O aipo (Apium graveolens) ou salsão, é uma planta aromática alimentícia da família das apiáceas e a sua origem é européia. O aipo contém vitamina C, cálcio, potássio, ferro, fósforo e magnésio. É rico em fibras e ajuda no controle da taxa de colesterol do sangue.

Fontes:

  • Associação Brasileira de Bartenders_www.assbb.org.br_barman Paulo Avelinos Jacovos
  • Livro hangover Cures, Ben Reed.

arquiteta, cenógrafa e blogueira de coquetelaria

Juliana Raimo presta consultoria em coquetelaria para veículos de comunicação, desenvolve cardápios de drinks conceituais junto a bartenders convidados para eventos e presta consultoria para restaurantes na conceituação e realização de cartas de drinks. Realiza também festas temáticas que unem a coquetelaria, gastronomia, arte e música. Já escreveu para mídias como Revista da Gol, Prazeres da Mesa, site Dedo de Moça, site B-Coolt entre outros. Desde 2009, assina a coluna drinkme no blog Gastronomix. Com mais de 300 artigos publicados, fala do universo dos coquetéis e convida o leigo a aprender a arte de preparar e apreciar um bom drink. Atualmente, realiza degustações de drinks por toda a cidade e leva ao leitor dicas de onde ir, quais bartenders procurar e o que beber em São Paulo e pelas cidades que passa.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.