Il Perugino, o melhor italiano do Rio de Janeiro

ilperugino

Com sua história gastronômica fortemente centrada na tradição ibérica, o Rio nunca se destacou por seus restaurantes italianos. Massas pesadas e extremamente cozidas complementadas por molhos gordurosos foram a regra durante muito tempo na cidade. Um exemplo é o incensado La Trattoria, de Copacabana, onde nunca consegui comer um prato decente.

Atribuo a essa falta de tradição italiana o surgimento de algumas aberrações gastronômicas por aqui. A que mais me incomoda é a quase onipresente adição de creme (muito creme, em geral) no molho carbonara, tradicionalmente composto apenas de ovos, pecorino, panceta e pimenta do reino. Certa vez, num antigo italiano da Barra, havia tanto creme no prato que a massa chegava a boiar…

Uma onda de filiais de restaurantes paulistas ajudou a melhorar o quadro. Mas a maior parte deles, com destaque para as casas da família Fasano, demanda bolsos fundos e não são opções para o dia-a-dia. Além de, na minha modesta opinião, não serem exatamente excepcionais.

Hoje em dia, nesse cenário mais animador, existem exceções. Os restaurantes da família Aleixo – Artigiano, Anna, Pomodorino e Fiorino – são consistentes e cobram preços justos. O Ino é outra boa iniciativa paulista na cidade. Grado, Luce e Nido são promessas interessantes. Fratelli, Casa do Sardo, Margutta, Da Bambrini e D’Amici mantêm a qualidade, sem serem excepcionais. E o Cipriani, do Copacabana Palace, é casa que merece uma coluna apenas para ele.

Mas hoje, para mim, o melhor restaurante italiano do Rio não fica exatamente na cidade, mas no distrito de Itaipava, em Petrópolis, a uma hora e meia de viagem. O Il Perugino combina tradição, qualidade e excelente serviço.

O cardápio do Il Perugino é longo e completo, com destaque para massas feitas na casa. O tagliatelle com ragú de coelho e linguiça é o prato mais tradicional e vale definitivamente a pena. Os risotos são um capítulo à parte, cremosos e com o arroz al dente, “comme il faut”.
Mas o segredo do Il Perugino são as opções fora do cardápio. A cada dia, a casa tem uma seleção de pratos que dão água na boca só de ouvir os maîtres recitá-los. As receitas de carne, com acompanhamentos a gosto do freguês, já valem a visita, leitor. A lombata, ou prime rib, é uma das melhores que comi na vida.

Tudo isso faz do Il Perugino, comandado pelo chef Sormany Justen, uma surpresa para quem gosta de boa comida. Sem molhos cremosas e massas muito passadas, posso garantir.

AVALIAÇÃO
Comida: 9/10
Ambiente: 7/10
Serviço: 9/10
Carta de vinhos: Excelente, com opções dos principais países e para todos os bolsos.
Preços: Caros

Dica extra: Beneficiado por também contar com uma loja de vinhos, o Il Perugino tem uma das melhores cartas do Rio. Foi ali que descobri algumas opções interessantes, com assemblages pouco usuais. O Finca Los Nobles Malbec/Pétit Verdot e o Família Schroeder Malbec/Pinot Noir foram duas excelentes descobertas.

IL PERUGINO
Estada. União e Indústria, 12601 – Itaipava, Petrópolis – RJ
Telefone: (24) 2222-3092

Jornalista, carioca e tricolor

Jornalista, carioca e tricolor. Gasta certamente mais do que deveria em restaurantes e vinhos e hoje em dia só viaja para conhecer novos pratos e sabores. Considera-se um gourmet "clínica-geral": frequenta botecos de má fama do Centro do Rio com a mesma paixão que sente ao entrar num três estrelas Michelin. Apesar disso, não consegue esconder uma mal disfarçada predileção por lugares clássicos, com história, pátina e estrada. Formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), trabalhou em algumas das principais redações do País, como Gazeta Mercantil, O Estado de S.Paulo e O Globo. Além do Rio, já morou em São Paulo, Buenos Aires (onde foi correspondente do Globo) e Brasília. Hoje é sócio-diretor da FSB Comunicação, a maior empresa de Comunicação Corporativa do Brasil.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.