Homenagem gastronômica à Notre Dame

notredame

Como aconteceu no incêndio do Museu Nacional, as imagens do fogo destruindo a Catedral de Notre Dame me deixaram arrasado. A ponto de não querer mais assistir ao noticiário. Afinal, minhas duas cidades favoritas no mundo – Rio e Paris – estavam ficando mais pobres, desprovidas de parte fundamental de sua herança histórica e cultural.

Para fazer minha pequena homenagem a uma das igrejas mais impressionantes que já visitei, resolvi contar hoje aqui uma experiência gastronômica em que a Catedral de Notre Dame foi, com certeza, uma das protagonistas. Trata-se de nossa ida ao Tour d’Argent, um dos restaurantes clássicos da capital francesa.

O leitor deve agora estar se perguntando o que uma coisa tem a ver com a outra. Acontece que o salão principal do Tour d’Argent fica no sexto andar do edifício localizado no Quai de la Tournelle, de frente para o Sena e com vista para a Île de Saint-Louis e para os fundos da catedral. À noite, quando Paris ganha um brilho especial, é como se a vista invadisse o restaurante, criando uma experiência inesquecível para os clientes.

O restaurante é famoso por um prato especial: o Caneton (ou Canard ) à la presse, uma receita de pato com o molho mais delicioso que você comerá em toda a sua vida. Primeiro, cozinham levemente o pato e retiram dele o peito e as coxas. O restante é levado para uma prensa que comprime a carcaça da ave e retira dela todos os seus sucos. Esse líquido recebe então uma série de condimentos e é flambado para transformar-se finalmente no molho.

O prato é servido em duas etapas: primeiro o peito e, em seguida, a coxa, sempre com o molho. O acompanhamento são as deliciosas Pommes Soufflées, extremamente leves. Um detalhe importante: há décadas os patos são numerados, e, no final da refeição, os comensais ganham um certificado com o número da ave servida a eles.

Para muitos, o Tour d’Argent é decadente e ultrapassado. Mas, para minha mulher e eu, ficou a lembrança de uma noite mágica, de comida e vinho excelentes, emoldurada pela vista da velha Catedral de Notre Dame.

AVALIAÇÃO
Comida: 9/10
Ambiente: 10/10
Serviço: 10/10
Carta de vinhos: Uma verdadeira enciclopédia para aqueles que apreciam vinho. Impressionante, especialmente pela variedade de opções da Borgonha. Não tenha vergonha de pedir ajuda ao sommelier e prepare o bolso.
Preços: Muito altos.

Dica extra: Para quem ficou curioso em conhecer a receita de Caneton à la Presse, o jornal britânico The Guardian fez uma reportagem (em inglês) muito interessante sobre o Tour d’Argent e seu prato mítico. Clique aqui e veja .

Jornalista, carioca e tricolor

Jornalista, carioca e tricolor. Gasta certamente mais do que deveria em restaurantes e vinhos e hoje em dia só viaja para conhecer novos pratos e sabores. Considera-se um gourmet "clínica-geral": frequenta botecos de má fama do Centro do Rio com a mesma paixão que sente ao entrar num três estrelas Michelin. Apesar disso, não consegue esconder uma mal disfarçada predileção por lugares clássicos, com história, pátina e estrada. Formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), trabalhou em algumas das principais redações do País, como Gazeta Mercantil, O Estado de S.Paulo e O Globo. Além do Rio, já morou em São Paulo, Buenos Aires (onde foi correspondente do Globo) e Brasília. Hoje é sócio-diretor da FSB Comunicação, a maior empresa de Comunicação Corporativa do Brasil.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.