Guia italiano destaca casas fora do eixo Rio-SP

Cozinha Roccia _ Divulgação

Se a imagem do Brasil anda arranhada lá fora, isso não atinge (ainda) a nossa gastronomia. Pelo menos para os editores da revista italiana Identitá GoloseA edição 2019 do Guia Identitá Golose, recém-lançado, inclui dez restaurantes que justificam uma visita ao território brasileiro. E o legal é que eles não se detiveram no badalado circuito São Paulo-Rio.

Responsável pela seleção, a escritora Luciana Bianchi, italiano-brasileira, escolheu seis endereços famosos da capital paulista. Mas foge do óbvio, apontando também casas do Rio de Janeiro, Belém, João Pessoa e Vitória. Conheça os restaurantes selecionados e o motivo apontado por Luciana para conhecê-los.

Filhote na brasa, do Recanto do Bosque, em Belém, Pará

Remanso do Bosque (Belém, PA), do chef Tiago Castanho
“Porque é o melhor restaurante da culinária amazônica: peixe, fogo, grelha”

Cozinha Roccia (João Pessoa, PB), do chef Onildo Rocha (é de lá o prato da foto acima)
“Porque é o melhor restaurante do nordeste brasileiro e sua comida é única. Ele trabalha com artesãos locais, pequenos agricultores orgânicos e apoia artistas locais”

Lasai (Rio de Janeiro, RJ), do chef Rafael Costa e Silva
“Porque não há restaurantes no Rio com mais produtos bons e frescos e com um conceito único que mistura luxo e simplicidade”

Soeta (Vitória, ES), dos chefs Barbara Verzola e Pablo Pavón
“Porque é um restaurante inovador e delicioso e porque ninguém prepara o caranguejo de casca mole como Barbara e Pablo”

A Casa do Porco (São Paulo, SP), do chef Jefferson Rueda
“Porque aqui coexistem bom restaurante e comida de conforto. E tem também o melhor porco assado da sua vida”

Virado à paulista, prato das segundas no Bar da Dona Onça, em São Paulo

Bar da Dona Onça (São Paulo, SP), da chef Janaína Rueda
“Porque se os irmãos Roca, Michel Bras, Ferran Adrià e Daniel Humm também vierem aqui, haverá uma razão”

Corrutela (São Paulo, SP), do chef César Costa
“Porque a Corrutela é uma lufada de ar fresco, porque é um dos restaurantes mais sustentáveis ​​do mundo e porque você vai provar os melhores vegetais da cidade”

DOM (São Paulo, SP), do chef Alex Atala
“Por experimentar ingredientes endêmicos brasileiros, especialmente a formiga saúva, projetada em um contexto de alta gastronomia contemporânea” — selecionado por Beniamin Chalupinski

Maní (São Paulo, SP), da chef Helena Rizzo
“Porque a comida é deliciosa e excitante e o ambiente descontraído e casual. Você se sente dentro de uma casa de família no campo, em meio ao caos de São Paulo”

Mocotó, do chef Rodrigo Oliveira
“Para comer comida gratificante e desfrutar de uma das melhores caipirinhas em São Paulo”

Jornalista

Jornalista paraibano radicado em Brasília. Há 30 anos, trabalha com jornalismo cultural e, mais recentemente, com os assuntos de gastronomia. Passou pelas redações do Jornal de Brasília, Correio Braziliense, Jornal da Paraíba, Veja Brasília e site Metrópoles. É autor do livro O Fole Roncou, finalista do Prêmio Jabuti em 2013. Atualmente, também é editor do Boníssimo (link para bonissimo.blog), blog que aborda assuntos de cultura, diversão e ações positivas. Está no Gastronomix desde sua criação em 2009.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.