Festa da Bodega Garzón, uma coisa de cinema

Festa da Colheita da Garzón

Garzón deixou de ser apenas um pequeno vilarejo do departamento de Maldonado, Uruguai, desde 2008, quando o bilionário argentino Alejandro Bulgheroni começou a cultivar uvas nas terras que adquiriu nas proximidades. A Bodega Garzón, vinícola do empresário, atraiu para lá outro argentino, o chef Francis Mallmann, que montou na vila um luxuoso misto de hotel e restaurante.

Mas o fato desses empreendimentos terem públicos muito seletos evita o fluxo desenfreado de turistas e ajuda a preservar as características originais do vilarejo de Garzón. Até hoje, a cidadezinha tem apenas 198 moradores e mantém uma paz só alterada em dias festivos, como o sábado (2/3), quando ocorreu a Fiesta de la Vindímia (ou Festa da Colheita), da Bodega Garzón.

Mesas enfileiradas nas alamedas da pracinha de Garzón e decoração especial para a festa

Antes, de manhã cedo, as mais de 200 pessoas que participaram do evento mediante compra de ingresso, puseram chapéu e empunharam tesoura para conhecer na prática, nos vinhedos da vinícola, como são tirados os cachos de uva que dão origem a alguns dos 19 rótulos produzidos na casa. Depois disso, uma visita guiada pelo interior da Garzón e, enfim, a festa propriamente dita…

As sete estações de fogo, onde foram preparados carnes e legumes para o almoço

Cenário de cinema
A cenográfica pracinha do povoado transformou-se em uma espécie de set, em que figurantes circulavam pelas alamedas decoradas ao som de música ao vivo e desfrutavam da espetacular visão das sete estações de fogo onde eram preparados carnes e legumes para o almoço. Ricki Motta, chef do restaurante da Bodega Garzón, comandava a operação, que teve supervisão de Francis Mallmann.

Que venham os vinhos: na festa foram servidos alguns dos 19 rótulos da vinícola

Entre os participantes, muitos brasileiros. “A Bodega Garzón recebe cerca de 20 mil visitantes por ano, e cerca de 50% desses são brasileiros”, informa Christian Wylie, enólogo e CEO da Garzón. O Brasil, aliás, é um dois mercados estrangeiros que mais consomem os vinhos da Garzón — o outro são os Estados Unidos.

Estrela da festa: Francis Mallman atende aos muitos pedidos para fotos

O clima de bastidores de cinema era acentuado pela presença das câmeras e de todo o aparato da equipe de filmagens de uma série sobre a Bodega Garzón, que está sendo produzida pela própria companhia em parceria com o canal Food Network, especializado em programas de gastronomia.

Na festa, entravam como “atores de destaque” Mallmann, super-solicitado pelo público para as inevitáveis selfies; Bulgheroni e a esposa, Bettina — sua parceira também no projeto Bodega Garzón — e o próprio Wylie, chileno que nos últimos três anos tem sido um dos responsáveis pelo crescente prestígio que a Garzón vem adquirindo fora do Uruguai.

As típicas camionetes da Garzón e barris para a pisa das uvas compõem o cenário

Entre os convidados, estavam ainda o enólogo argentino Charlie Arturaola e a chef paranaense Manu Buffara, do Restaurante Manu, em Curitiba. Na segunda-feira (5/3), Manu faria com Ricki Motta um jantar a quatro mãos, de cinco etapas, no restaurante da Bodega Garzón — que tem Francis Mallmann como embaixador e diretor culinário.

Tradição
A Fiesta de la Vendimia é uma tradição entre vinícolas do mundo todo. É promovida para marcar o início da safra e a preparação do vinho para o ano. Na Bodega Grazón, a colheita se estende até abril e os novos vinhos estarão prontos por volta de novembro.

Opa! Um penetra na festa. Mas o acesso às carnes, só com pulseirinha de convidado

A ideia da vinícola é transformar sua Fiesta de la Vendimia em uma tradição no calendário turístico do departamento de Maldonado, que atrai muitos visitantes para suas praias no período de verão — de dezembro a fevereiro. A edição deste ano, a segunda realizada pela Garzón, deu mostras de que essa não será uma tarefa difícil.

A murga La Clave dá uma amostra do carnaval uruguaio, encerrando a festa

A próxima edição só acontece no ano que vem, por essa mesma época. Mas durante todo o ano é possível visitar a Bodega Garzón, participar de degustação de vinhos e almoçar no restaurante — que abre somente de quarta a domingo, para almoço, ao longo do ano e todos os dias na alta estação.

O Gastronomix vai publicar na próxima semana uma matéria completa e cheia de detalhes sobre sobre a Bodega Garzón. Fiquem ligados.

Jornalista

Jornalista paraibano radicado em Brasília. Há 30 anos, trabalha com jornalismo cultural e, mais recentemente, com os assuntos de gastronomia. Passou pelas redações do Jornal de Brasília, Correio Braziliense, Jornal da Paraíba, Veja Brasília e site Metrópoles. É autor do livro O Fole Roncou, finalista do Prêmio Jabuti em 2013. Atualmente, também é editor do Boníssimo (link para bonissimo.blog), blog que aborda assuntos de cultura, diversão e ações positivas. Está no Gastronomix desde sua criação em 2009.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.