Epur, novos ares sem perder a identidade

epur2

A ode que fiz ao Gambrinus na última coluna reflete meu irrefreável amor pelas tradições portuguesas, que falam ao meu coração carioca suburbano. Mas a noite lisboeta se destaca também por uma oferta extremamente contemporânea, surpreendente na sua capacidade de aggiornamento da culinária do país e de incorporar influências das antigas colônias (Brasil inclusive) e da Europa.

José Avillez, por exemplo, é figura quase onipresente em qualquer menção ao cenário gastronômico português da atualidade, com suas várias casas de propostas diferenciadas. É o chef da moda. E o faz por merecer: o Belcanto, seu restaurante duas estrelas Michelin numa tranquila rua ao lado do Teatro São Carlos, é encantador e inovador.

Outros destaques são o Alma, a instigante casa de Henrique Sá Pessoa, e o 100 Maneiras, lindo restaurante do chef iugoslavo Ljubomir Stanisic no meio do Bairro Alto.
Recomendo vivamente todos eles, mas tenho que admitir que me encantei em minha última visita a Lisboa pelo Epur, restaurante do chef francês Vincent Farges. O nome da casa vem da famosa frase do astrônomo Galileu Galilei – “E pur si muove” (E no entanto se move) -, pronunciada após Galilei ser obrigado pela Inquisição a negar sua teoria de que a Terra giraria ao redor do Sol.

Como o nome indica, o restaurante se baseia no simpático conceito de “gravitação degustativa” e tem seu menu degustação dividido em pratos “do mar e do rio”, “do campo” e “recordações”, sendo esta etapa dedicada às raízes portuguesas.

A cozinha de Farges é delicada e contemporânea, com base em ingredientes tradicionais, sem invencionices. É um espelho do novo Portugal: aberto a novos ares e influências, sem perder suas referências e, principalmente, sua identidade.

Avaliação:

Comida: 9/10
Ambiente: 10/10
Serviço: 9/10
Carta de vinhos: Excelentes opções portuguesas de todas as regiões.
Preços: Caros

Dica extra: O Epur fica no Largo da Academia Nacional de Belas Artes, um oásis de paz a poucas quadras da área mais movimentada do Chiado. O antigo casarão do restaurante foi todo modernizado por dentro. Ficou lindo, com uma decoração clean que valoriza os detalhes e os elegantes azulejos do salão. Traz ainda de brinde a vista para o Tejo!

Editores, colaboradores e convidados do portal Gastronomix.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.