Delmonico’s: o primeiro chique de NY

delmonico´s

Trinta anos antes de escrever “Fisiologia do Gosto” — livro que até hoje é parte da biblioteca básica de quem pretende estudar a teoria da gastronomia –, o  advogado, político e cozinheiro francês Jean Anthelme Brillat-Savarin (1755-1826) morou por dois anos em Nova York.

Fora para lá fugido da Revolução Francesa,período de intensa agitação política e social na França, que teve um impacto duradouro na história do país. Ali, dava aulas de francês e de violino para sobreviver. Na ocasião, não encontrou na cidade nenhum restaurante que merecesse constar em suas anotações futuras.

Na verdade, à epoca, Nova York estava muito, mas muito longe, de ser o paraíso gastronômico de agora. Já haviam os oyster bars, os bares de ostras, uma tradição local, mas o cenário era de cidade interiorana.

Somente em 1825, mesmo ano em que “Fisiologia do Gosto” saiu na França, é que surgiu o primeiro restaurante mais sofisticado na ainda “pequena maçã”. Percebendo como a cidade estava desprovida de um estabelecimento do tipo, o mercador de vinhos suíço Giovanni Delmonico foi buscar o irmão Pietro, bem-sucedido pasteleiro em Berna.

Abriram no número 23 da William Street o Delmonico’s. Inicialmente um café, que servia doces, bolos, vinhos, charutos e, grande novidade para os nova-iorquinos, um chocolate espesso e quente.

Seis anos depois, chegou o sobrinho dos dois, Francesco, que afrancesou o próprio nome (para François) e o cardápio da casa. Surgiu então o Delmonico’s Confeiteiros e Restaurant Français. Os suíços revolucionaram o cenário gastronômico local, logo foram copiados e transformaram a culinária francesa em sinônimo de boa comida em toda a América.

Outros restaurantes surgiram na cidade com o mesmo nome em anos posteriores, mas nenhum conseguiu a mesma fama do original — que perdurou até os primeiros anos do século 20.

Fonte: “A Grande Ostra — Cultura, História e Culinária de Nova York” (Mark Kurlansky)t. Foto: jantar de honra no Delmonico’s em 1906 (Wikipédia)

 

Jornalista

Jornalista paraibano radicado em Brasília. Há 30 anos, trabalha com jornalismo cultural e, mais recentemente, com os assuntos de gastronomia. Passou pelas redações do Jornal de Brasília, Correio Braziliense, Jornal da Paraíba, Veja Brasília e site Metrópoles. É autor do livro O Fole Roncou, finalista do Prêmio Jabuti em 2013. Atualmente, também é editor do Boníssimo (link para bonissimo.blog), blog que aborda assuntos de cultura, diversão e ações positivas. Está no Gastronomix desde sua criação em 2009.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.