Daiquiri, clássico atemporal

RFO-1400x919-Marmalade-Daiquiri-mini-1276b5df-2326-4278-a571-d8937f01a500-0-1400x919

Daiquiri é um dos principais drinks da coquetelaria cubana ao lado do Mojito. Seu nome vem de uma praia perto de Santiago de Cuba e de uma mina de ferro situada na mesma área. O drink foi supostamente criado em 1905 em um bar chamado Vênus em Santiago de Cuba, distante 37 quilômetros desta mina por um grupo de engenheiros americanos. A história que persiste é a de que o engenheiro Jennings Cox inventou o drink quando entretinha convidados americanos.

Originalmente o coquetel foi servido em copo alto com bastante gelo picado, uma colher de açúcar, suco de um limão espremido e uma ou duas partes de rum completando a mistura. Mais tarde passou a ser misturado em coqueteleira com os mesmos ingredientes, porém usando gelo raspado. Depois de ser agitado vigorosamente era servido em taça tipo flute previamente gelada.

O Daiquiri veio se tornar incrivelmente popular na década de 40. Devido a política da boa vizinhança instituída por Roosevelt que abriu o comercio para as relações e as viagens com a América Latina, Cuba e Caribe (conhecido na época como programa Pan-americano).

Era o drink preferido do presidente americano John F Kennedy e do escritor norte americano Ernest Hemingway que morou em Cuba durante muitos anos. Hemingway ajudou na popularização destes dois dos maiores e mais famosos drinks cubanos, o Mojito e o Daiquiri,.

Outra corrente afirma q o drink foi criado no bar La Floridita (Calle Monserrate, 557 esquina com Obispo ) por Constantino Ribalaigua (reconhecido como o pai dos barmans de Cuba) no inicio do século passado, onde trabalhou por mais de quarenta anos.

Constantino juntou Rum, açúcar, limão e um leve toque de licor de Maraschino e bateu num liquidificador com muito gelo dando a consistência de frapê. O Bar La Floridita é hoje considerada a casa do Daiquiri.

Abaixo seguem 03 diferentes versões do coquetel, que une no mesmo drink o doce o sour o alcoólico e a diluição (gelo).

Para se fazer o perfeito Daiquiri, sr. Cox acreditava que se deve chegar no equilíbrio perfeito destes quatro elementos.

1 – Daiquiri Martini (batido na coqueteleira)

-100ml Rum envelhecido
-35ml de suco de limão tahiti fresco
-25ml de sugar syrup (2 partes de açúcar diluídas em 1 parte de água)
-25ml de água mineral gelada

Misture todos os ingredientes em uma coqueteleira com gelo, bata vigorosamente e sirva em taça martini previamente gelada. Fatia de limão para decorar.

2 – Daiquiri Frozen (batido no liquidificador)

-45ml Rum Branco
-20ml de suco de limão
-5ml xarope de açúcar (2 partes de açúcar diluídas em 1 parte de água)
-Xarope de Grenadine (opcional)
-Gelo

Coloque todos os ingredientes no liquidificador com gelo e bata até ficar homogêneo. Despeje na taça pré resfriada e adicione algumas gotas de Grenadine.

3 – Daiquiri on the rocks

-100ml de Rum envelhecido
-35ml de suco de limão tahiti fresco
-25ml de sugar syrup (2 partes de açúcar diluídas em 1 parte de água)

Misture todos os ingredientes em um mixing glass com gelo, filtre e sirva em copo old fashioned com 3 pedras de gelo. Decore com uma fatia de limão.

Fontes: Livro Cocktails Made Easy, Simon Difford e Wikipidia

arquiteta, cenógrafa e blogueira de coquetelaria

Juliana Raimo presta consultoria em coquetelaria para veículos de comunicação, desenvolve cardápios de drinks conceituais junto a bartenders convidados para eventos e presta consultoria para restaurantes na conceituação e realização de cartas de drinks. Realiza também festas temáticas que unem a coquetelaria, gastronomia, arte e música. Já escreveu para mídias como Revista da Gol, Prazeres da Mesa, site Dedo de Moça, site B-Coolt entre outros. Desde 2009, assina a coluna drinkme no blog Gastronomix. Com mais de 300 artigos publicados, fala do universo dos coquetéis e convida o leigo a aprender a arte de preparar e apreciar um bom drink. Atualmente, realiza degustações de drinks por toda a cidade e leva ao leitor dicas de onde ir, quais bartenders procurar e o que beber em São Paulo e pelas cidades que passa.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.