Conheça a Cerâmica Japonesa Honjo

honjo

Eu digo sempre que o chá não é só chá. Não se resume a água quente sobre um punhado de folhas. O chá é presença, um jeito especial de se estar. É parar por um momento para preparar, sentir, se enxergar, tocar… É saber de onde veio, por que veio. É prurar formas de servi-lo, reinventado. É criar rituais de atenção e cuidado. E você bem sabe que eu amo preparar pequenos rituais de chá!

Na busca pelo #momentomágicoperfeito, me esforço. Quero que o encontro – comigo, com o outro – seja único e inesquecível; que tudo combine com a ocasião que a imaginação criou. E numa dessas oportunidades de preparação, deparei-me com uma cerâmica especial, perfeita para abraçar chazinhos verdes japoneses, batizada de Honjo.

A produção desta cerâmica, que segue o estilo rústico e imperfeito, tipicamente japonês, concentra-se em uma fazenda localizada em Anápolis/GO, de propriedade de Massayuki Honjo, engenheiro e conhecedor da técnica, há alguns anos. Hoje, as peças são essencialmente moldadas pelas mãos habilidosas do artista José Gama, conhecido como Higor, que morou no Japão por três anos para se aperfeiçoar e continuar a produção dos adornos e utensílios.

Enquanto eu me perdia entre vasos, bules, chawans e bandejas, Higor me explicou que a técnica se chama Yakishime e utiliza argila, fumaça, cinza e vidro; as peças são queimadas por 60h, em temperaturas bem altas, que chegam a 1300oC. Sobre o resultado, não se tem muito controle; cada peça tem um visual próprio, uma personalidade única… E a gente rapidamente descobre a que foi feita para caber direitinho no nosso querer!

Não preciso dizer que saí carregada de coisas do lugar, que também é lindo. No meio do cerrado, a propriedade é enfeitada pela natureza, por bambus e figuras orientais, que fazem com que a gente só sinta paz. Com a hospitalidade de Higor, que trabalha e mora por lá, a tarde foi inesquecível. Se eu fosse você, daria um jeito de conhecer o artista, a fazenda e cada peça linda, capaz de encantar até os olhos mais exigentes.

Eventualmente, o Sr. Honjo organiza, juntamente com a comunidade nipônica do Brasil, festivais de cerimônia de chá no local, igualmente caprichados e, por isso, imperdíveis. Em Brasília, o restaurante Yuzu-An sempre divulga a programação.

O quê? Cerâmica Honjo.
Onde? Fazenda Assidoc, em Anápolis/GO.
Como? A visita é feita com hora marcada. Basta contatar Higor, pelo telefone 62-993500751. O WhatsApp funciona melhor que o telefone e ele explica direitinho como chegar, já que se trata de área rural. Não se preocupe, é bem fácil!

Os chawans já foram super bem utilizados em oficinas que realizei e fizeram sucesso absoluto. Agora mesmo, quando me preparo para encontrar amigos que o chá me deu, levo uma mala carregada dessa cerâmica tão especial, para presenteá-los de um jeito único. Que tal você também incrementar seu momento, se jogar no matchá, nessa louça linda e única?

Ah, me acompanhe também pelo Instagram ou Facebook , lá estão as imagens que ilustram na prática tudo o que falamos por aqui, feitas a partir do meu #momentomágico: @chazeira (insta) ou @eloinachazeira (face) . Nos vemos lá, pra não morrermos de saudade até a próxima quinta, certo?

Beijos e bons momentos. Com chá, claro!

Especialista em chás

Se tiver chá, lá ela estará! Apaixonada pelo mundo dos chás e tudo o que com ele se relaciona, de porcelana a livros, de lugares a receitas, de comidinhas a experiências. Acredita que a xícara perfeita é capaz de criar momentos mágicos; a eles se entrega com toda a sua verdade... E eterna curiosidade! Especialista em chás e tea blender por paixão, servidora pública por profissão. Em Brasília/DF.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.