As deliciosas carnes de Buenos Aires

buenosaires_4

Buenos Aires… Deixei um dia meu coração na esquina de Marcelo T. de Alvear e Callao. Era uma tarde típica de verão em dezembro de 1999 e ali, naquele momento, me dei conta de que iria embora. Definitivamente.

Era o fim de uma feliz temporada de três anos em Buenos Aires, onde trabalhei como correspondente do Globo. Foi um período intenso, com muitas viagens, coberturas emocionantes e uma vida profundamente portenha. Mas havia chegado a hora de partir.

Claro que a despedida não foi definitiva. Voltei a Buenos Aires muitas vezes ao longo dos anos e me sinto sempre como se estivesse chegando à minha segunda casa. Aqui tenho amigos que conheço há mais de 25 anos, lugares que trago num lugar especial da memória. Sou enfim um pouco portenho, me atrevo a dizer.

Em Buenos Aires, adquiri alguns hábitos locais. Um deles é frequentar com paixão as tradicionais parrillas, como são conhecidas as casas especializadas em carne. E a melhor dica que posso dar sobre esses lugares é a seguinte: abra sua cabeça e prove os cortes diferentes típicos do churrasco argentino.

Comece com uma deliciosa morcilla, a famosa linguiça de sangue daqui. Nos melhores lugares, seu sabor é elegante e quase doce. Continue com uma porção de mollejas, isto é, o timo da vaca. Essa glândula, ignorada no Brasil, é extremamente saborosa e muito popular na Argentina. Se quiser seguir por caminhos mais ousados, peça depois uma porção de chinchulines, o intestino delgado do animal.

Em relação aos cortes mais comuns, há vida além do Bife de Chorizo. Não deixe de provar o Asado de Tira, uma deliciosa parte da costela. Já o Bife Ancho é, na minha modesta opinião, muito mais saboroso que o Chorizo, por ter a gordura marmorizada ao longo do corte. A Entraña, outro clássico, é o diafragma da vaca e também vale muito a pena.

Um lugar hoje da moda para quem busca carnes em Buenos Aires é o restaurante Don Julio. Fica no badalado bairro de Palermo, numa de suas ruas mais movimentadas, e apareceu este ano na sexta posição da lista de 50 melhores restaurantes da América Latina, publicado pela revista Restaurant.

E, ainda que me cause certo estranhamento ver uma parrilla na lista de melhores restaurantes do continente, devo reconhecer que o Don Julio entrega o que promete com qualidade e profissionalismo. A carne pedida, um Entrecot ou Prime Rib, veio no ponto exato e estava deliciosa. As entradas, uma empanada de carne e uma morcilla, estavam perfeitas. E a panqueca de doce de leite coroou o final de uma refeição sem falhas.

Saímos do Don Julio com aquela sensação de plenitude que apenas uma boa refeição pode provocar. E ainda com o privilégio de caminhar depois pelas ruas de Palermo, nesta cidade que trago no coração.

AVALIAÇÃO
Comida: 8/10
Ambiente: 8/10
Serviço: 9/10
Carta de vinhos: Excelente, com muitas opções argentinas para todos os bolsos. Nossa pedida foi um Alfa Crux 2010, que acompanhou de forma soberba um Prime Rib.
Preços: Caros para os padrões argentinos.

Dica extra: Se querem fugir daqueles vinhos de sempre que encontramos nos supermercados e lojas do Brasiluma opção interessante é a loja La Esquina del Vino. Fica em Caballito, um pouco fora da área turística de Buenos Aires, mas seu proprietário, Caio Masana, viaja três ou quatro vezes ao ano a Mendoza para selecionar pequenos produtores e cortes inusitados. Para conhecer mais sobre a loja, basta buscar por La Esquina del Vino no Facebook.

DON JULIO
Calle Guatemala 4699
Palermo – Buenos Aires
Telefone: +54 11 4832-6058

Jornalista, carioca e tricolor

Jornalista, carioca e tricolor. Gasta certamente mais do que deveria em restaurantes e vinhos e hoje em dia só viaja para conhecer novos pratos e sabores. Considera-se um gourmet "clínica-geral": frequenta botecos de má fama do Centro do Rio com a mesma paixão que sente ao entrar num três estrelas Michelin. Apesar disso, não consegue esconder uma mal disfarçada predileção por lugares clássicos, com história, pátina e estrada. Formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), trabalhou em algumas das principais redações do País, como Gazeta Mercantil, O Estado de S.Paulo e O Globo. Além do Rio, já morou em São Paulo, Buenos Aires (onde foi correspondente do Globo) e Brasília. Hoje é sócio-diretor da FSB Comunicação, a maior empresa de Comunicação Corporativa do Brasil.

2 Comentários

  1. Flavio vc sempre nos surpreendendo com suas crônicas gasrronômicas que me deixam com agua na boca. Como sou do ramo me delicio com os seus comentários sobre os melhores lugares para comer , do boteco ao mais sofisticado restaurante. Só as pessoas de fino trato (que coisa mais antiga) sabem valorizar essas coisas.
    Grande abraço

    • Obrigado pela leitura, Gustavo! Meu gosto, como diria o Zeca Pagodinho, é meio “clínica-geral”: vai do bar mais raiz ao restaurante estrelado. Abraços!

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.