5 dicas para fazer uma horta orgânica em casa

Horta caseira

Horta em casa é um dos maiores prazeres que pode ter alguém que gosta de cozinhar. Além da praticidade — precisar de um erva e pegar ali, no pé — tem a garantia de estar consumindo produto orgânico, sem nem sinal de agrotóxico. E o melhor de tudo: não é assim tão difícil tê-la, como mostra a agroecologista paulistana Alessandra Nahra.

Alessandra é professora da Escola de Botânica, em São Paulo, e do curso on-line Hortas Caseiras e Agroecológicas, oferecido pelo Namu Cursos, primeira plataforma de videoaulas voltada exclusivamente para o bem-estar. Adora viajar para fazer cursos, conhecer cultivos e pessoas que plantam e se meter em hortas comunitárias pelo mundo afora.

No curso, Alessandra Nahra se estende sobre o assunto hortas caseiras por 10 aulas de cerca de 30 minutos cada uma, mas aqui ela resume em cinco dicas fundamentais para quem quer aprender como plantar os próprios alimentos de maneira econômica e sustentável:

1. Veja onde há luz natural
“Pode ser uma laje da casa, um quintal, uma varanda ou até mesmo o parapeito de uma janela, mas é importante ser um local por onde você passe todos os dias, para que consiga sempre ver a horta”.

2. Use recipientes para fazer canteiros
Quer dizer não precisa ter terra no chão para fazer a horta. “É possível usar praticamente qualquer recipiente: caixote de feira, baldes plásticos e caixas de isopor. Até gavetas de madeira podem virar canteiros”.

3. Encontre a espécie mais adequada para plantar
Aqui, dois pontos: 1 ) tenha bom senso. “Não adianta plantar agrião se você ou ninguém da sua casa come este vegetal”. 2 ) leve em conta a geografia do espaço disponível. “Plantas como hortaliças, temperos e aromáticas exigem pelo menos cinco horas de sol direto por dia. Ou seja, é preciso de um espaço que receba luz mais constante. Se sua casa não é tão iluminada, pesquise espécies mais resistentes e experimente”.

4. Sempre cubra o solo com matéria orgânica
Use palha, folhas secas e restos de poda. “O solo que fica exposto perde a umidade. Além disso, a ação bactericida do sol atrapalha os microrganismos, responsáveis por torná-lo rico em nutrientes”.

5. Adube e regue com regularidade
“A cada 20 dias, a terra precisa ser revestida com composto orgânico, humus de minhoca ou bokashi”. Alessandra lembra ainda que é preciso regar a planta diariamente. “Mas é importante ter cuidado para não exagerar nas doses de água”.

Por fim, veja um “trailer” do curso da Alessandra Nahra:

Jornalista

Jornalista paraibano radicado em Brasília. Há 30 anos, trabalha com jornalismo cultural e, mais recentemente, com os assuntos de gastronomia. Passou pelas redações do Jornal de Brasília, Correio Braziliense, Jornal da Paraíba, Veja Brasília e site Metrópoles. É autor do livro O Fole Roncou, finalista do Prêmio Jabuti em 2013. Atualmente, também é editor do Boníssimo (link para bonissimo.blog), blog que aborda assuntos de cultura, diversão e ações positivas. Está no Gastronomix desde sua criação em 2009.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.