10 coisas para saber sobre o uísque

whisky-3313591_1920

“Uísque bom é uísque escocês” é ideia corrente. Mas, apesar da fama, os escoceses não podem garantir que a bebida é uma invenção deles. Na verdade, ninguém levou o crédito, até essa altura da história da humanidade, de ser o criador desse destilado tão apreciado em todo o mundo — caubói ou on the rocks.

Fato é que a invenção do processo de destilação é atribuída ao cientista árabe Jãbir ibn Hayyãn, no século 8. Mas seus conhecimentos sobre o assunto só chegaram ao Ocidente quatro séculos depois. Com certeza, veio daí a inspiração para os primeiros fabricantes do whisky — segundo uns, monges irlandeses; segundo outros, fazendeiros escoceses das highlands.

De onde quer que tenha vindo, é bem-vindo. Tanto que o uísque tem conquistado novas gerações, deixando de lado o estigma de ser bebida para gente mais velha. Estudos recentes mostram que 46% dos novos consumidores de uísque têm entre 25 e 34 anos. Portanto, vamos conhecer um pouco mais sobre esse precioso líquido:

Old Bushmill’s: declarada a mais antiga destilaria da Irlanda

1. O nome uísque vem do gaélico, língua ancestral escocesa: uisge beatha, que quer dizer “água da vida”. Com o tempo, foi reduzido a uisge e depois passou a whisky.

2. O primeiro registro da palavra “whisky” está num documento do fisco irlandês, referente a uma encomenda de 48 galões de malte que teria sido feita pelo rei James IV ao rade John Cor, de uma abadia do condado de Fife.

3. Imigrantes irlandeses e escoceses trouxeram para a América a técnica de produção do uísque. No Kentucky, ele ganhou uma particularidade local: produzido a partir do milho (enquanto em outros lugares usava-se o centeio), deu origem ao Bourbon, um uísque tipicamente americano.

Bourbon, uma invenção americana, do Kentucky para o mundo

4. A primeira importação de uísque para o Brasil data de 1850.

5. Sabe qual é a cidade de maior consumo de uísque per capita? Não fica na Escócia, mas no Nordeste brasileiro. É Recife (PE), apesar de o Brasil ficar lá em 29º no ranking de consumo per capita por país, liderado pela França.

6. A Old Bushmill’s, na Irlanda, se autopropaga como “A mais antiga destilaria do mundo”. Foi licenciada em 1608. Mas na América, a mais antiga é a Jack Daniels.

7. A idade determina o paladar de um uísque. Os mais novos (12 anos ou menos) precisam de água para adocicar seu sabor; os com 15 anos ou mais não devem ser misturados a água, água com gás nem gelo, pois altera seu sabor original.

Jack Daniel’s é o uísque americano mais popular no mundo

8. Jack Daniels é o uísque americano mais popular no mundo. Mas na Europa, o mais consumido é o Ballantine´s Finest.

9. Uísques escoceses geralmente são feitos de água e cevada maltada. Passam por seis etapas: maltagem, secagem, moagem/maceração, fermentação, destilação e envelhecimento. A mistura fica pronta em três semanas, mas depois disso a bebida tem que envelhecer por no mínimo oito anos em barris de carvalho.

10.  Segundo o especialista brasileiro Cesar Adames, os 10 melhores uísques do mundo são: Chivas Regal 18 Years; Dalmore 18 anos; Famous Grouse; Glenfiddich Special Reserve 12 Anos; Glenmorangie Nectar D’or; Jack Daniels; Johnnie Walker Blue Label; Laphroaig Quarter Cask; Macallan Elegância 12 e Maker’s Mark.

Fontes: uisques.com. singlemalt.com.br, johnniewalker.com.br. clamachamilton.com.br.

Jornalista

Jornalista paraibano radicado em Brasília. Há 30 anos, trabalha com jornalismo cultural e, mais recentemente, com os assuntos de gastronomia. Passou pelas redações do Jornal de Brasília, Correio Braziliense, Jornal da Paraíba, Veja Brasília e site Metrópoles. É autor do livro O Fole Roncou, finalista do Prêmio Jabuti em 2013. Atualmente, também é editor do Boníssimo (link para bonissimo.blog), blog que aborda assuntos de cultura, diversão e ações positivas. Está no Gastronomix desde sua criação em 2009.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.