10 coisas interessantes para saber sobre o gim

gim0

O gim é uma das paixões do engenheiro químico José Osvaldo Albano do Amarante, 70 anos. Ele é um apaixonado por bebidas e expert no assunto. Diretor técnico da Mistral Vinhos Importados, já escreveu para as revistas Gula, Revista do Vinho, Playboy, GoWhere Gastronomia e Gosto, dá palestras e organiza viagens enogastronômicas pelo mundo.

Há 30 anos, ele se dedica a pesquisar sobre o gim. O resultado desses anos de procura está reunido no livro “Os Segredos do Gim” (Mescla Editorial, 192 págs., R$ 89,90). É Amarante quem nos dá as informações sobre a produção e o consumo da bebida listadas aqui.

1) O primeiro registro que se tem sobre a produção desta bebida é do início do século 17, na Holanda.

2) Mas os britânicos que lutaram na Holanda durante a Guerra dos Trinta Anos (1618-1648), ao voltar para casa, levaram na bagagem a bebida. A novidade foi tão bem recebida que hoje o Reino Unido é considerado a pátria do gim.

3) Em 2014, existiam 202 destilarias registradas no Reino Unido. Dessas, 134 na Escócia, 61 na Inglaterra, seis no País de Gales e uma na Irlanda do Norte. Em 2013, o país exportou 139 milhões de garrafas de gim de 750 ml.

4) Mas as Filipinas é que são o maior mercado de gim do mundo, com consumo de cerca de 50 milhões de caixas de 9 litros — cerca de 40% de todo o mercado mundial de gim. O consumo doméstico é dominado pela produção local (98%)

5) “A destilaria filipina San Miguel é, de longe, a marca mais importante, com produção de 22 milhões de caixas de 9 litros, equivalendo a 62% do mercado”, afirma Amarante.

6) Os Estados Unidos são o maior importador do gim britânico. Algumas marcas tradicionais do Reino Unido são fabricados nos EUA mesmo. Em 2013, segundo a Gin & Vodka Association (GVA), 10,3 milhões de caixas de 9 litros foram vendidas no país.

7) A Espanha tem o maior mercado consumidor da União Europeia e é o terceiro maior no âmbito mundial. As marcas nativas representam 75% das vendas no país.

8) O Brasil? Em 1989, tinha pelo menos cinco de bom nível. Em meados de 2016, esta realidade começou a mudar e o mercado nacional a produzir bons exemplares desta bebida.

9) Por outro lado, hoje é possível encontrar no Brasil maior diversidade de gins importados. No segundo semestre de 2016, na esteira do boom do gim, surgiram os primeiros gins premium de pequenos lotes produzidos no Brasil. Os pioneiros foram Arapuru, Draco e Virga.

10) Os diversos estilos podem ser divididos em sete grandes grupos classificados pela família aromática dos ingredientes utilizados em seus componentes botânicos ou pelo método de produção. O gim pode ser apreciado de diversas formas, dependendo do clima, da ocasião ou da preferência pessoal.

 

Jornalista

Jornalista paraibano radicado em Brasília. Há 30 anos, trabalha com jornalismo cultural e, mais recentemente, com os assuntos de gastronomia. Passou pelas redações do Jornal de Brasília, Correio Braziliense, Jornal da Paraíba, Veja Brasília e site Metrópoles. É autor do livro O Fole Roncou, finalista do Prêmio Jabuti em 2013. Atualmente, também é editor do Boníssimo (link para bonissimo.blog), blog que aborda assuntos de cultura, diversão e ações positivas. Está no Gastronomix desde sua criação em 2009.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.